O que são Falsos Cognatos no Espanhol

O que são os falsos cognatos do Espanhol

Falsos cognatos são palavras com grafia muito parecida, porém significados totalmente diferentes. Eles existem em abundância entre nosso idioma e o Espanhol.

Ocorre que tanto o Português quanto o Espanhol possuem uma base comum: o Latim. Mas essa base foi influenciada de maneiras muito diferentes, na evolução de cada uma.

Dessa forma, muitas das palavras existentes no Espanhol possuem relativos, no Português. Só que, não necessariamente, esses relativos têm correspondência semântica.

Quando isso ocorre, temos os falsos cognatos. São escritos e pronunciados de um jeito muito parecido — senão igual. Todavia não significam, definitivamente, a mesma coisa.

Vamos, definitivamente, compreender os falsos cognatos?

Entendendo a natureza dos falsos cognatos

Falsos Cognatos

Como dito anteriormente, falsos cognatos são palavras escritas da mesma forma, mas com sentido diferente.

Porém, se existem falsos cognatos, devem haver os verdadeiros cognatos. Certo? Certíssimo!

Cognatos são palavras que compartilham sua raiz. Como resultaram de uma mesma fonte, possuem a grafia igual, senão muito parecida, e mesmo significado.

Entre o Português e o Espanhol, há milhões de cognatos. Em sua maioria, devem-se ao Grego e ao Latim, moldes de nossas línguas.

Temos, por exemplo, palavras como “nome”, “casa”, “homem”, “mulher”, “igreja”, “sol”, “amor”. Todas são praticamente idênticas em ambas línguas graças à sua origem.

Ainda, tanto Espanha quanto Portugal sofreram invasões germânicas e muçulmanas. Falamos bastante disso quando conversamos sobre a diferença entre Espanhol e Castelhano.

E as mudanças nunca acabam. Afinal, idiomas são entes vivos, que se modificam pela ação dos falantes. Todo choque ou troca cultural resultam em novas assimilações e cognatos.

No entanto semelhança não representa unicidade. E é aqui que nasce a importância de conhecer os falsos cognatos.

Posso jurar: não há nada tão desconfortável como aplicar falsos cognatos na comunicação. Eles são capazes de gerar confusões terríveis. Veja esta esquete proposta pelo CCAA:

Depois de hoje, você estará blindado para esse tipo de vergonha. Afinal, você saberá o que são os falsos cognatos, e os utilizará em seus reais significados.

Vamos lá!

Uma pequena anedota sobre o risco dos falsos cognatos

Enquanto convivi com argentinos, nos anos 2000, tive acesso a muitas curiosidades. Dentre elas, as mais divertidas eram as tentativas imprudentes de fluência.

Tanto de lá quanto de cá, situações verdadeiramente embaraçosas ocorrem o tempo inteiro. Viaja-se sem o cuidado de conhecer cultura e idioma do destino.

Em certos casos, como do Inglês, há quem nem tente. Porém, como o Espanhol “parece muito fácil”, há muita gente que apenas mude “-ão” por “-ón” jurando estar falando certo.

Trago, para ilustrar este artigo, uma anedota terrivelmente engraçada com falsos cognatos. Ela me foi contada por um ex-colega, que trabalhava como garçom, em Buenos Aires.

Certa vez, este amigo foi prestar o atendimento a um casal de turistas. Eram brasileiros, e desejavam um jantar romântico no coração da Argentina.

Este colega, muito solícito, serviu-os em tudo que desejavam. Do bom vinho de Mendoza aos magníficos corte de ancho e chorizos, fê-los muito felizes.

Contudo, ao fim da refeição, queriam acertar a conta. E como fazê-lo? Ora, chamando meu colega e perguntando:

— Garçom, aceita cartón? — Afinal, bastaria trocar o “-ão” por “-ón”, não é mesmo? Mas é claro que não é assim.

Ao ouvir a pergunta, meu colega ficou completamente confuso. “Aceitar cartón”?! Por que diabos alguém “aceitaria cartones”, se perguntava.

Ocorre que “aceitar”, em Espanhol, seria cobrir com óleo ou azeite, seu “aceite”. “Cartón”, por sua vez, corresponde a um pedaço de papelão.

Aceitar cartón”, então, é jogar óleo em papelão. E ele se apavorava, pensando que os turistas queriam comer isso.

A confusão só teve fim mais tarde, depois de grande comoção. O gerente, outras pessoas, todo mundo buscava entender para que queriam óleo no papelão.

Por fim, os turistas abriram suas carteiras e balançaram os cartões de crédito ao ar.

Sí, señor. Aceptamos tarjetas — ele respondeu.

Por que estudar os falsos cognatos

Como a anedota deixa perceber, é importante se comunicar bem. Há graves riscos implícitos em dizer o que não se quer. De pequenas confusões a grandes problemas, tudo pode ser evitado.

Estudar os falsos cognatos garante clareza e precisão de nossas mensagens. Evitamos desconfortos, claro. Mas, mais que isso, conseguimos nos fazer entender.

Por isso, preparamos uma lista com os 10 principais falsos cognatos do Espanhol comentados. Esperamos que você se divirta tanto quanto nós, ao ler.

Visite a matéria e caia na gargalhada! Enquanto se diverte, tenho certeza que aprenderá um bocado.

Caso goste, compartilhe com seus amigos. Não queira que, um dia, eles venham a pedir papelão com óleo, num restaurante.

Até mais, caros alunos. Nos vemos em breve!

Redação Hablare

Hablare é um site de conteúdo para quem deseja aprender a falar espanhol. Temos conteúdos completos e dicas para tornar o seu aprendizado nesse idioma ainda mais cativante e divertido.

View all posts by Redação Hablare →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *